A construção civil continua desempregando

De acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego, os últimos meses a construção civil registrou um saldo negativo de mais de 250 mil empregos. As demissões foram maiores que as contratações em cerca de 10%.

Mesmo com um alto déficit habitacional existente no Brasil, o setor imobiliário vem amargando um péssimo resultado. O que determinou essa situação foram os cortes dos programas do governo, a alta dos juros dos bancos, o endurecimento da concessão de crédito imobiliário e os atuais escândalos envolvendo o dinheiro destinado aos programas sociais, incluindo o projeto Minha casa, Minha vida.

Estima-se que ainda devem ser construídas mais de 35 milhões de moradias para suprir a necessidade de novas famílias. Isso seria contado nos próximos 25 anos. O ritmo de construção deveria estar em pleno vapor, para equacionar razoavelmente o problema.

Apesar de toda a crise, ainda existe um potencial para a realização de obras de infraestrutura em várias cidades para contribuir com o setor imobiliário. Isso seria determinante para o lançamento de novos empreendimentos por parte dos investidores, puxando mais emprego e mais renda a população, mota entre as melhores imobiliarias em curitiba.